Últimas Notícias

04/04/2019

Taxa de desemprego sobe em fevereiro e fica em 12,4%, segundo IBGE


IBGE divulgou, em 29/3/2019, dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad)−Contínua os quais apontam que a taxa de desemprego no país ficou em 12,4% no trimestre encerrado em fevereiro/2019. Percentual esse, maior que o do trimestre anterior encerrado em novembro/2018 (11,6%); porém, menor que o resultado do trimestre encerrado em fevereiro/2018 (12,6%).

A Pnad retratou, portanto, que a população desocupada (13,1 milhões) cresceu 7,3%, ou seja, mais 892 mil pessoas em relação ao trimestre de setembro a novembro/2018 (12,2 milhões). Na comparação com trimestre encerrado em fevereiro/2018 manteve-se a estabilidade.

Outro dado apontado pela pesquisa sobre a população fora da força de trabalho (65,7 milhões) é recorde da série histórica, teve alta de 0,9%, ou seja, mais 595 mil pessoas frente ao trimestre de setembro a novembro/2018; e alta de 1,2%, ou seja, mais 754 mil pessoas, na comparação entre o trimestre analisado em 2019 e igual trimestre de 2018.

Por outro lado, a taxa de subutilização da força de trabalho (24,6%) no trimestre encerrado em fevereiro/2019 em relação ao trimestre anterior (23,9%) cresceu 0,8 ponto percentual (p.p.) e na comparação com o mesmo trimestre móvel do ano anterior (24,2%) cresceu 0,4 p.p.

O percentual de pessoas desalentadas (4,4%) manteve o recorde da série, ficando estável em relação ao trimestre anterior e subindo 0,2 p.p. em relação ao mesmo trimestre de 2018(4,2%).

Dentre outros dados da Pnad divulgados em 29/3/2019 observou-se que o total de empregados no setor privado com carteira assinada (excluindo os trabalhadores domésticos) foi 33 milhões de pessoas, mantendo-se estável nas duas comparações. Enquanto o número de empregados sem carteira assinada (11,1 milhões) caiu 4,8% em comparação ao trimestre anterior, ou seja, menos 561 mil pessoas; porém subiu 3,4%, ou seja, mas 367 mil pessoas ao comparar ao mesmo trimestre de 2018. E o número de trabalhadores por conta própria (23,8 milhões) ficou estável ao ser comparado com o trimestre anterior e cresceu 2,8% (mais 644 mil pessoas) em relação ao mesmo trimestre do ano anterior.