Últimas Notícias

06/08/2019

Ar frio e seco do inverno contribui para o aumento de doenças respiratórias e outras

Inverno: o ar frio e seco contribui para o aumento da incidência das doenças respiratórias, as que mais preocupam nessa época do ano. Os atendimentos nas unidades de saúde chegam a dobrar por causa do clima tão seco.


Ar frio e seco do inverno contribui para o aumento de doenças respiratórias e outras

 

Inverno: o ar frio e seco contribui para o aumento da incidência das doenças respiratórias, as que mais preocupam nessa época do ano. Os atendimentos nas unidades de saúde chegam a dobrar por causa do clima tão seco.

Especialistas recomendam que é melhor redobrar os cuidados. Por exemplo, é preciso fazer circular o ar no ambiente, isto é, deixar sempre uma fresta na janela, mantendo-a um pouco aberta tanto no transporte como em casa. Portanto, deve-se evitar permanecer em ambientes fechados para se proteger do frio, pois nesses locais vírus e bactérias circulam mais facilmente.

Quem já sofre com alergias ou com doenças como bronquite e asma deve estar mais em alerta ainda. De preferência levar seus medicamentos consigo, no caso dessas duas últimas doenças. Quanto às crises alérgicas, especialistas recomendam evitar o contato com a causa do problema; por exemplo, se alergia se refere a ácaros, o controle do ambiente alérgico deve ser mais rigoroso. Manter o ambiente sempre limpo, evitando acúmulo de poeira.

Como o ar frio e seco irrita as mucosas tende a prejudicar, por isso, o funcionamento de todo o aparelho respiratório. Consequentemente, as pessoas ficam mais susceptíveis a infecções. Uma das recomendações é o uso periódico do soro fisiológico para limpar as narinas que tendem a ficar ressecadas. A outra dica é o uso do álcool gel para passar nas mãos com frequência.

Claro que tanto a alimentação saudável, como a hidratação (bebendo bastante água) estão inclusas nas recomendações para enfrentar, principalmente, a época de frio.